Monica Uehara
Crepe de frango e requeijão e confit de tomates cereja

E aí, pessoal? Como foram de férias? Eu sempre brinco que "mãe NUNCA tira férias". Fato!
A chama do fogão andou desligada por um tempo aqui na Cozinha por causa da loucura do meu dia-a-dia multi tarefas.
Mas, na minha lista de prioridades para este ano, com certeza está dar mais atenção ao meu bloguinho, que tantas alegrias me trouxe até agora.
Bom, mas, sobre a pergunta no título do post, esta eu aprendi lá no curso de gastronomia (Iga Santo André). Aliás, aprendi dicas ótimas sobre estes pratos lá.
Eu já havia preparado panquecas e crepes várias vezes, mas, gostei bastante das dicas que foram apresentadas na aula. Veja aqui um post sobre massa básica para panquecas.
Ambos são muito semelhantes e muitas vezes são confundidos, mas, as principais diferenças são que a panqueca (de origem norte-americana ) é mais espessa e tem a cor mais escura, mais tostada que o crepe (de origem francesa).  Já a massa de crepe deve ser bem clarinha e com a menor espessura possível.
Esta foi uma das primeiras aulas lá no curso com a Chef Bete Carneiro, tendo como monitor da aula o Chef Estevan Kikuchi, ambos profissionais muito competentes.
Uma dica bem legal, que o Chef Estevam me passou, foi que não é necessário "virar" as massas de crepe para tostar do outro lado, já que elas devem ficar clarinhas mesmo.
Quem já não se viu tentando virar uma massa bem fininha sem quebrar, como nos filmes, jogando a massa para cima? Eu nunca me atrevi! haha!
A receita para ambas é a mesma, com a diferença somente de na hora da cocção, deixar as panquecas mais espessas e douradas e os crepes menos espessos e menos corados.

Ingredientes: (para 8 a 10 porções)
100 gramas de farinha de trigo
2 ovos inteiros
1 gema
350 ml. de leite e água (coloquei 250 ml. de leite e 100 ml. de água)
15 gramas de manteiga derretida
sal a gosto.

Fiz assim:
Em um bowl misturei todos os ingredientes e mexi com um fouet até que a massa estivesse homogênea. Tampei o bowl com plástico filme e levei ao refrigerador por aproximadamente uma hora.
Untei levemente uma crepeira com manteiga e levei ao fogo. Deixei a crepeira aquecer e com o auxilio de uma concha, despejei um pouco de massa no centro da crepeira, girando-a para que a massa cobrisse todo o fundo. Como minha intenção era preparar crepes (e não panquecas). Assim, que a massa começou a soltar dos lados e "fazer bolhas". Retirei-a e coloquei em um prato. Procedendo da mesma forma com o restante da massa. Fui empilhando as massas umas sobre as outras e deixando-as perto da chama do fogão para que continuassem quentinhas até a hora de servir.
Despejei a massa no centro da crepeira e girei para que a massa cobrisse todo o fundo
A massa começa a soltar bolhas.
Empilhei as massas umas sobre as outras para que permanecessem quentinhas até o momento de servir.
Dica:
Crepeira é uma espécie de frigideira bem rasinha. Específica para preparar crepes.
Crepeira
Na foto que aparece no alto da página, recheei os crepes com frango desfiado temperado e requeijão cremoso, e servi com confit de tomates cereja (veja a receita aqui). Mas, há uma infinidade de sugestões para recheios, como:

Salgadas:
creme de palmito e alho poró (veja aqui a receita).
queijo e presunto
calabresa ralada com cebola
carne seca com abóbora
carne moída refogada

Doces:
doce de leite
goiabada e queijo
banana com canela

Estes foram os pratos que preparamos na aula:
Crepe doce recheado com doce de leite e flambado em calda caramelizada

Panqueca recheada com ricota e espinafre e molho verde

Crepe de frango com molho vermelho