Monica Uehara


Esta receita é sucesso garantido. A massa não leva farinha e portanto, não contém glúten, ( Clique aqui para ver mais algumas receitas sem glúten.) e é daqueles bolos que a gente adora porque basta colocar tudo no liquidificador e levar para assar!

Já fiz várias vezes. Aliás, ela é uma das receitas que constam no meu caderninho de receitas que comecei a escrever quando ainda era criança e que deu origem ao blog. Eu não havia postado ainda porque apesar de este bolo ser um espetáculo de tão delicioso, ele não é "fotogênico", então, a cada vez que eu fazia, tirava algumas fotos para postar, que não ficavam legais, até que estas que postei logo acima, ficaram "mais ou menos".
Já preparei este bolo inúmeras vezes .É uma delícia.
E nesta semana, eu estava separando os ingredientes para prepará-lo, e minha irmã me chamou pelo whattsapp para pedir a receita! Então, me dei conta de que não estava no blog e precisava postar, já que este bolo é sucesso absoluto!
Vocês não fazem ideia do aroma que este doce deixa pela casa enquanto está no forno!
Receita que eu adoro! Bate tudo no liquidificador, e coloca para assar!
Ingredientes:
6 espigas grandes de milho verde
2 xícaras de leite
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina derretida
2 xícaras de açúcar
4 ovos
1 colher (chá) de canela em pó (opcional)
1 colher rasa (sopa) de fermento em pó.

Fiz assim:
Retirei os grãos do milho com uma faca bem afiada. Coloquei no copo do liquidificador todos os ingredientes, (exceto o fermento e a canela), inciando pelos líquidos. Bati muito bem, até ficar uma mistura homogênea. Finalmente acrescentei o fermento e bati mais um pouquinho, só para misturar. Untei muito bem uma assadeira com margarina e coloquei a massa, por cima espalhei a canela e levei ao forno por aproximadamente 40 minutos, ou até que espetando um palito no centro do bolo este saísse limpo.
Meu velho caderninho de receitas que deu origem ao blog.
Dicas: Coloque no copo do liquidificador primeiro os ingredientes líquidos, para que este não "emperre" na hora de bater o milho.
Dependendo da qualidade do milho, o bolo pode não desenformar, e você poderá servi-lo retirando com a colher, sem cortá-lo em quadradinhos. Fica delicioso das duas formas.
Já experimentei preparar este bolo com milho em latinha, mas, não achei bom o resultado. O sabor e aroma são totalmente diferentes.

Clique aqui para ver mais algumas receitas sem glúten.

Monica Uehara

Adoro aroma de pão assando! Aliás, será que existe quem não goste? Imagine, então, o aroma de um pão com alecrim e azeite!!

Esta receita, aprendi no curso de gastronomia que fiz no Iga. Posso afirmar que é um dos pães mais gostosos que já provei. Após ter preparado e provado a focaccia no curso, tentei por duas vezes preparar em casa, mas, não ficava igual, a parte de baixo ficava dura. Então, conversando com uma amiga "expert" (Veruscka, muito obrigada, mais uma vez!) em pães e que também frequentou o curso comigo, vi que a temperatura do forno indicada no livro do Iga, estava errada. A temperatura ideal para assar esta focaccia é de 170 graus. Desde então, preparei várias vezes e  sempre ficaram excelentes.
Eu costumo preparar esta massa com ajuda da batedeira Kitchenaid, mas, ela pode ser sovada normalmente com as mãos, ou também com ajuda da máquina de fazer pão.
Aliás, sempre me perguntam se eu penso que vale a pena comprar uma batedeira Kitchenaid, e eu recomendo. Na minha opinião, vale cada centavo! Posso sovar pão, bater massas pesadas, sem que a máquina "sofra". Tenho também o liquidificador da mesma marca, mas, minha opinião não é positiva. Mas, enfim, a batedeira é muito boa mesmo e me auxilia muito na cozinha.
Esta focaccia, para ficar uma maravilha, tem alguns segredinhos, que estão todos explicados logo abaixo. Vale muito a pena experimentar.

Veja aqui a receita de pão de cebola.
Veja aqui como assar pão de queijo na sanduicheira

Fiz assim:

Ingredientes:
250 gramas de farinha de trigo peneirada
2 gramas de sal (2 pitadas)
20 gramas de manteiga
100 a 150 ml de leite morno
15 gramas de fermento biológico fresco
25 gramas de açúcar.
folhinhas de alecrim fresco
1 cebola pequena cortada em fatias finas
azeite de oliva suficiente para pincelar o pão
sal grosso a gosto

Fiz assim:
Coloquei na tigela da batedeira (Kitchenaid) a farinha, a manteiga, o sal, o açúcar, o fermento e um pouco do leite. Misturei bem com uma colher, e usando o gancho, bati na velocidade 4 até que a massa estivesse lisa, uniforme e desgrudasse das laterais da tigela da batedeira, formando "uma bola".


Fui adicionando o restante do leite aos poucos durante o batimento (utilizei cerca de 130 ml de leite). Retirei a massa da batedeira e coloquei em um bowl para que duplicasse de volume (cobri o bowl com plástico filme para auxiliar a fermentação).





Vale observar, que para este procedimento, não é possível utilizar qualquer batedeira, pois a massa é pesada e se a batedeira não tiver potência suficiente, pode queimar.
O pão pode ser sovado normalmente com as mãos. O ponto de sova é quando a massa estiver, lisa, homogênea, elástica e ainda úmida, mas, sem grudar nas mãos.
Após a fermentação, coloquei a massa dentro de uma forma retangular pequena (pode usar uma forma redonda também) de 20 cm  por  16 cm. Cobri novamente a forma com plástico filme e esperei novamente que duplicasse de volume.




Quando duplicou de tamanho, pincelei o pão com o azeite, tomando cuidado para não deixar escorrer, coloquei por cima as folhinhas de alecrim, a cebola fatiada e um pouquinho de sal grosso.

Assei em forno pré aquecido a 170 graus Centígrados, tomando cuidado para não tostar a parte de baixo do pão. Quando a parte de baixo começou a ficar dourada, liguei o grill do forno, para dourar a parte de cima (cerca de 5 minutos). Retirei do forno e logo em seguida, retirei o pão da forma para que esfriasse e terminasse a cocção fora do forno.

Dicas:
O forno muito quente deixará o pão duro. É importante não deixar que a parte de baixo do pão toste demais para manter a textura macia da focaccia.
Não deixe o azeite escorrer pelas laterais do pão, isso fará com que o pão "frite" ao invés de assar e a textura não será a mesma.
A quantidade de leite é variável, pois depende da qualidade da farinha e da temperatura e umidade local.

Veja aqui mais dicas para preparar pãezinhos fofinhos.


Monica Uehara

Eu já havia visto esta dica em várias páginas na internet, mas, ainda não havia experimentado! E como só costumo postar aqui no blog, sobre dicas que já experimentei, o post ficou armazenado. Minha batedeira é planetária e eu sempre via fotos de batedeira com espátulas, fazendo este trabalho. Mas, achei a dica tão bacana que quis experimentar. E não é que dá certo mesmo!!? Maravilha!!
Eu costumvaa desfiar frango ou carne, usando o processador. Mas, meu processador é muito pequeno, então, tinha que fazer este trabalho em várias etapas.

Veja mais dicas para facilitar seu dia-a-dia clicando aqui.
Veja aqui o índice com várias dicas culinárias.

Fiz assim:

Refoguei pedaços de peito de frango em um dente de alho e um fio de azeite. Adicionei um pouquinho de sal e uma pitada de coloral, uma folha de louro e um pouquinho de água. Tampei a panela e deixei até que o frango estivesse cozido. Retirei a pele e os ossos da carne.
Coloquei os pedaços de frango na tigela da batedeira e liguei em velocidade média.

Em 2 minutinhos, o frango estava assim, desfiadinho,

e pronto para ser utilizado em recheios de tortas e sanduiches, coxinha, empadinhas, crepes e panquecas, esfihas, cobertura de pizza, escondidinho de frango, salpicão, ou o que sua imaginação mandar!

Dica: Tenho sempre um pote no freezer com frango cozido, temperado e desfiado. É um coringa!

Monica Uehara

Para não perder o costume de buscar e preparar receitas menos calóricas! Esta "pizza" tem sido presença constante aqui em casa. Já servi no almoço, e também como entrada em um jantar que preparei para uns amigos. Aliás, alguns leitores têm pedido dicas de cardápio para jantarzinhos em casa, que não sejam muito trabalhosos e possam ser preparados previamente. E neste dia, foi assim, boa parte do jantar, pude preparar antecipadamente e no momento de servir, apenas cozinhei a massa e aqueci os pratos no forno.

O menu foi este: (todas as receitas já foram postadas no blog, e para acessá-las, é só clicar sobre elas)

Petiscos:
Dadinhos de tapioca

Entrada:
Pizza de berinjela light

Prato principal:
Rigatone a Santiago

Acompanhamento:
Salada verde (preparei um mix de folhas verdes, como broto de alfafa e alguns tipos de alface, salpiquei um pouco de castanhas picadas e servi com molho ceaser)

Sobremesa:
Salada de frutas quente com sorvete

Ingredientes:
1 berinjela
1 cebola pequena
1 tomate
1 xícara de molho de tomate
sal e pimenta a gosto
azeite a gosto
orégano a gosto
1 xícara de mussarela (ou outro queijo a gosto)
meia xícara de cream cheese ou requeijão cremoso light


Fiz assim:
Fatiei a berinjela em rodelas de aproximadamente 2 cm de espessura. Temperei com o sal e a pimenta e deixei em repouso na geladeira por aproximadamente meia hora até que o líquido começasse a escorrer. Enquanto isso, piquei a cebola e o tomate em pedacinhos bem pequenos, temperei com sal. Reservei também.

Montagem:
Forrei uma assadeira com papel manteiga (esta parte é dispensável, mas, eu não queria nem sujar muito a assadeira. Caso você queira dispensar esta etapa, pode untar levemente o refratário com um pouquinho de azeite.)

Descartei o líquido que escorreu das berinjelas.

Coloquei as fatias de berinjela lado-a-lado no refratário. Coloquei em cada uma, um pouco de molho de tomate (que já estava temperado). Por cima do molho, coloquei um pouco de cebola e tomate picados. Distribui o queijo mussarela e um pouquinho de cream cheese. Levei ao forno pré-aquecido em 180 graus por aproximadamente 20 minutos. O tempo ideal de cocção é quando o queijo estiver derretido e a berinjela cozida.
Retirei do forno. Salpiquei um pouco de orégano e reguei um fio de azeite. Servi imediatamente.

Dica: Esta receita pode ser preparada antecipadamente, e levar ao forno um pouco antes de servir. Conserve na geladeira, e 20 minutos antes de servir, leve ao forno.

Monica Uehara

Eu já havia utilizado vinagre branco na limpeza da casa há um tempo atrás, como neste post, mas, como não gosto mesmo do cheiro de vinagre, acabei descartando o produto para esta finalidade. Entretanto, tenho ouvido vários relatos a respeito da eficiência do vinagre em limpezas difíceis e também de que por ser um produto natural, sua utilização constante não agride tanto o meio ambiente quanto os produtos industrializados.
Então, resolvi testá-lo no rejunte do azulejo ao lado do meu fogão, que estava em estado lastimável. Adorei o resultado!! Foi bem fácil de limpar e o cheiro do vinagre sumiu logo após a limpeza.

Veja aqui mais dicas para facilitar o seu dia-a-dia.

Fiz assim:
Embebi um chumaço de algodão em vinagre branco (usei o vinagre de arroz, mas, pode ser utilizado qualquer tipo de vinagre branco).
Passei bastante vinagre no rejunte e esperei uns 10 minutos. Esfreguei com uma buchinha de cozinha mesmo e a gordura acumulada do rejunte foi saindo bem facilmente. Passei um pano úmido para retirar o vinagre e pronto!
Não ficou 100% ainda, mas, não tive paciência de esperar o produto agir muito tempo e também não esfreguei tanto. Mas, ficou bem melhor do que estava!

Usei luvas para o cheiro não ficar nas minhas mãos. haha!

Dicas:
Se você tiver dúvidas sobre a utilização do produto em determinados tipos de pisos ou azulejos, faça um teste em um lugar pequeno e com acesso mais restrito antes.
Veja aqui mais dicas para utilizar produtos naturais na limpeza da casa.
Monica Uehara
Estes biscoitinhos ficaram uma delícia! Super fácil de fazer. Esta foi minha terceira tentativa em prepará-los e agora a receita ficou perfeita. Das outras vezes, ficaram bons, mas, ainda não era o que eu esperava, exatamente. Então, fui experimentado, até que agora ficaram uma maravilha!
Veja aqui o índice com todas as receitas do blog.
Veja aqui o índice com receitas de belisquetes, finger food e acepipes.
Receitinha fácil e deliciosa para deixar nossos dias mais alegres. Aliás, ultimamente estou focada em como gerar alegria e contentamento ao meu redor. Percebo a cada dia como isto é relevante. Afinal de contas, quem não quer se sentir bem, não é? Todos nós queremos, sempre! É claro.
Mas, será que a gente não fica esperando que os outros (ou Deus, ou qualquer outro fator externo)  façam isso pela gente? E que tal se mudássemos o foco e passássemos a gerar alegria e contentamento?
Gente! Para mim, sempre dá muito certo! "Semelhante atrai semelhante"! Tenho pensado muito sobre isso ultimamente. Para recebermos Tudo o que a gente quer, é melhor a gente começar a oferecer primeiro. Se a gente quer amor, é melhor começar a oferecer amor. Se queremos prosperidade, é melhor começar a oferecer auxilio a quem está precisando mais do que a gente. Se queremos que as pessoas sejam pacientes, tolerantes, bondosas com a gente, é melhor sermos pacientes, tolerantes, bondosos com os outros primeiro.
E que tal espalhar um pouco de beleza ao nosso redor? Tulipas! Minhas flores favoritas! Ofereço-as a você. Espero que você tenha uma linda semana, cheia de luz!




Paz e bem! Namastê! 

Ingredientes:
1 xícara e meia de farinha de trigo
meio pacote de creme de cebola (usei meio pacote de 65 gramas)
150 gramas de margarina para forno e fogão.
opcional (pimenta vermelha seca moída, orégano, alecrim, tomilho, sal grosso, queijo ralado, gergelim.). Estes ingredientes poderão ser utilizados para polvilhar os biscoitinhos.

Fiz assim:
Comecei preaquecendo o forno em 180 graus.
Misturei muito bem a farinha, margarina e creme de cebola, formando uma massa homogênea e lisa. Abri a massa com a ajuda de um rolo de macarrão entre dois plásticos grossos. Cortei com um cortador para biscoitos em formato aproximado de moedinhas de 25 centavos.( Caso você não disponha de um cortador, pode fazer bolinhas e achatá-las com os dedos, como nesta receita de biscoitinhos bem-casados. Ficam lindos também.)
Retirei cuidadosamente cada biscoito e coloquei na assadeira.
Coloquei um pouco de orégano em alguns biscoitinhos e em outros coloquei pimenta seca.
Levei ao forno em assadeira antiaderente. Não foi necessário untar, nem enfarinhar. Os biscoitinhos assaram em aproximadamente 25 minutos.
Esperei que os biscoitinhos esfriassem muito bem e guardei em um pote hermético.

Dicas: O tempo de cocção pode variar de forno para forno, então, para saber o ponto correto, observe se os biscoitinhos estão levemente corados na parte de baixo e "durinhos" como biscoitos na parte de cima.

Passo-a-passo

Misturei a farinha, a margarina e o creme de cebola até formar uma massa lisa e homogênea.

Coloquei porções da massa entre dois plásticos.

abri a massa com a ajuda de um rolo de macarrão.

Cortei a massa com um cortador de biscoitos.

Retirei os biscoitinhos com o auxílio de uma espátula.

Levei os biscoitinhos ao forno que já estava preaquecido em 180 graus por aproximadamente 25 minutos.

Esperei que os biscoitinhos esfriassem bem e guardei em um pote hermético.

Monica Uehara

Oi, gente! Demorei, mas voltei! Como sempre, está uma correria louca por aqui. Mas, fiz esta experiência e gostei bastante do resultado e quis compartilhar com vcs.
Preparar bolos não é o meu forte, mas, estou aprendendo com as dicas das amigas. Meus bolos sempre ficavam "meio cascudos", e algumas amigas me disseram que poderia ser o forno em temperatura alta demais. A marcação da temperatura mínima do meu forno é 180 graus, e deixei nesta temperatura. O bolo não ficou "cascudo", ficou com as laterais douradas, mas suaves.
Eu tinha um pouco de ricota aqui em casa e resolvi experimentar na receita de bolo de fubá cremoso (sempre usava o queijo meia-cura, mas, queria que a receita ficasse mais light). Ficou ótimo. Adorei. Ficou bem cremosinho. Uma delícia! E bem facinho de preparar. Foi só bater tudo no liquidificador e assar. Olha só:

Fiz assim:
Ingredientes:
3 xícaras de açúcar
4 xícaras de leite
1 xícara e meia de fubá 
1 colher (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) fermento em pó
4 ovos
300 gramas de ricota
1 pitada de sal.

Fiz assim:
Comecei preaquecendo o forno em 180 graus e untando e enfarinhando uma forma retangular.
Bati todos os ingredientes no liquidificador, exceto o fermento. Juntei o fermento e bati novamente. Despejei a massa na forma (forma retangular média) e levei ao forno que já estava preaquecido. O bolo assou em mais ou menos uma hora, mas este tempo é variável de forno para forno. Então, para saber se seu bolo já está bom, faça o teste do palito e observe também, se ele já está douradinho nas laterais.

Veja também a receita de bolo de fubá cremoso em camadas.
Bolo de fubá cremoso em camadas